Diamante Tricolor/Kitlitz

( Erythrura Trichroa)














Este artigo é da minha inteira responsabilidade e baseia-se na minha experiência como criador na experiência de outros criadores e na consulta de alguns artigos sobre o tema, tendo como objectivo final ajudar os criadores desta espécie a compreenderem e aumentarem os seus conhecimentos nesta área.


Distribuição - Indonésia e Nordeste da  Austrália.


Dimensões - Aproximadamente 13 cm.


Distinção entre os sexos -  De um modo geral , os machos são mais coloridos do que as fêmeas, estas possuem uma coloração mais pálida na mascara assim as penas vermelhas sob a cauda como no corpo embora esta última não tão evidente, a mascara do macho é de um azul intenso e maior, a forma mais eficaz de identificação dos sexos é pelo canto o macho possui um canto forte que por vezes dobra.








 



 


Características - Na vida selvagem, estas aves vivem em grandes grupos fora da época de acasalamento. Durante a época de acasalamento os casais que se formam afastam-se de forma a nidificar independentemente do resto do bando. Num aviário, cuidam de si próprias  na época de gestação sendo pacificas a sua sociabilidade com aves diferentes. Desde que tenham bastante espaço as relações destas aves com outras são bastante harmoniosas.


Alojamento - Ave que se adapta relativamente bem a qualquer viveiro, seja ao ar livre assim como em gaiola de criação, tem-se que ter consciência que se for num viveiro ao ar livre tem que ter algumas plantas de preferência voltado para o sol já que estas aves adoram o sol, é de salientar que o abrigo nocturno é obrigatório para descansar de preferência com uma temperatura amena já que à noite a temperatura baixa. Em gaiola de criação tem que se ter a sensibilidade para o facto desta aves engordarem com alguma facilidade causando problemas para a postura e fertilidade, deve-se vigiar frequentemente a condição física do casal ou então mais tarde manifesta-se na infertilidade dos ovos ou na baixa taxa da natalidade.


Temperatura - Trata-se de uma ave em que no seu Habitat natural esta habituada a calor sendo por isso sensíveis a temperaturas negativas. De uma forma geral é conveniente colocar estas aves em locais com sol onde possam desfrutar do calor e dos banhos os quais adoram, segundo a vária bibliografia que consultei é de consenso geral em que no Inverno estas aves tenham aquecimento. È de referir que hoje em dia este tipo de aves já se habituara ao nosso clima, pois já foram reproduzidas várias gerações sendo hoje em dia perfeitamente aceitável considerar que se adaptaram perfeitamente ao nosso clima embora deva-se ter a sensibilidade de vigiar. Pela minha experiência eu tenho estas aves em gaiolas de criação nas quais de Inverno não coloco qualquer tipo de aquecimento chegando ás vezes no aviário aos 10 Graus.


Alimentação - Ave granívora. Deve-se proporcionar uma mistura de sementes de aves tropicais de pequeno porte assim como porções de milho italiano (Mistura de Gould's) e alimentos verdes, na época de gestação estas aves devem ter ao dispor proteína animal sob a forma de papa insectívora ou pequenos vermes que se compram hoje em dia em lojas tais como bicho da farinha, vermes de búfalo e não esquecer da papa de ovo assim como da Grite ou arenito para satisfazer as necessidades digestivas.


Criação - Aves que se reproduzem em colónia assim como aos casais de preferência em local com temperatura constante com tendência para o calor, embora resistentes as crias são muito sensíveis ao frio podendo morrer, é evidente que para ter mais sucesso na criação pode-se recorrer as "amas" de forma a preservar a descendência. O ninho pode ser do tipo 1, abaixo na foto.
Os tricolores constroem um ninho engenhoso, esférico, com corda de sisal desfiada, fibra de coco ou pelo de cabra acamado com penas inferiores. O ninho é do tipo caixa semi-aberta. Pode-se esperar que ponham entre 3 a 6 ovos, que são chocados durante cerca de 13 ou 14 dias. A plumagem surge ao fim de 3 semanas aproximadamente. As crias são alimentadas até ás 6 semanas de idade, ao fim de 4 a 6 meses atingem a plumagem definitiva.


Mutações -  Existe também a variedade amarela ou Lutina, existem também aves malhadas.






















Tabela de Cruzamentos
































Filipe Valente
STAM Nº 658 F
  KITTLITZ
CLÁSSICO
        TODAY   NEWS

   Double click to edit text.






         TODAY   NEWS

   Double click to edit text.




KITTLITZ
LUTINO
MACHO CLÁSSICO
FÊMEA CLÁSSICA
Machos normais
Fêmeas Normais
MACHO CLÁSSICO PORTADOR
FÊMEA CLÁSSICA
Machos normais
Fêmeas Normais
Machos Portadores
Fêmeas Lutinas
MACHO LUTINO
FÊMEA CLÁSSICA
Machos Portadores
Fêmeas Lutinas
MACHO CLÁSSICO
FÊMEA LUTINA
Machos Portadores
Fêmeas Lutinas
MACHO LUTINO
FÊMEA LUTINA
Machos Lutinos
Fêmeas Lutinas
MACHO CLÁSSICO PORTADOR
FÊMEA LUTINA
Machos Portadores
Fêmeas Normais
Machos Lutinos
Fêmeas Lutinas
Copyright © Filipe Valente
Criador de Aves Exóticas